[Resenha] Ninguém me Explicou na Escola – Fernando Favaretto

NINGUéM_ME_EXPLICOU_NA_ESCOLA

Título: Ninguém me Explicou na Escola

Autor: Fernando Favaretto

Editora: Desfecho Romances

Ano: 2014

Páginas: 364

Os diários escritos pelo autor de 1992 a 1994, enquanto era seminarista, serviram de inspiração para a história de um adolescente às voltas com dúvidas e inquietações que envolvem fé e religião, vocação e escolha profissional, sexo e desejo, amor e amizade, medo e culpa. Uma história das coisas ditas e das escondidas, das verdades encobertas e das mentiras necessárias. Uma história sobre o que vale a pena saber e sobre o que não pode ser ensinado.

O que eu achei de Ninguém me Explicou na Escola?

Conheci o livro Ninguém me Explicou na Escola por meio do seu autor, Fernando Favaretto, que entrou em contato comigo e enviou um exemplar, para leitura e resenha. Recebi o livro já há algum tempo, mas devido ao ritmo de vida que 2014 me obrigou a ter e à quantidade de leituras que acumulei naquele período, a resenha demorou um pouco a sair.

Ninguém me Explicou na Escola foi publicado pela Editora Multifoco, pelo selo Desfecho Romances, com uma edição muito bem feita e com elementos na capa que remetem aos anos 90, onde a história se passa.

O livro conta a história de um adolescente que vivia em uma cidadezinha do interior do Rio Grande do Sul, até que recebe o convite de um frei franciscano para integrar o seminário e, adotando a vida franciscana, tornar-se frei. Ele teria a oportunidade de estudar em uma escola melhor e teria acesso a mais oportunidades, como o Magistério. Além disso, a ida para o seminário pareceu uma boa oportunidade para ele se afastar de desejos incomuns, que lhe pareciam errados, como sua preferência por garotos.

Este fator pesa muito na escolha do garoto, que acaba aceitando ir para o seminário e abraçar a vida religiosa. Todo o enredo se passa entre os dias vividos no seminário e a convivência na escola, onde estudavam tanto seminaristas quanto estudantes comuns, o que dava um tempero ainda melhor aos dias que passou ali.

Dentro do seminário, os garotos tinham que se dividir entre as atividades de limpeza e manutenção do local e as atividades religiosas.  Na escola, tinham que lidar com as diferenças de estilo de vida entre os estudantes comuns e os seminaristas e, inclusive, entre os seminaristas, já que entre as diversas casas de formação religiosa, tanto masculinas como femininas, havia diferenças de comportamento e de regras.

Além de ter que se adaptar a tantos mundos diferentes, sem nunca deixar de lado os princípios religiosos aprendidos no seminário, o garoto tinha que enfrentar tudo isso durante sua adolescência, o período em que todas as descobertas são feitas, todos os desejos são postos a prova. E com ele não foi diferente.

Ao tentar fugir de seus desejos mais íntimos, ele se vê convivendo diariamente com garotos, em uma convivência muito próxima, que poderia chegar a níveis bem mais aprofundados, o que era seu grande temor. Como conciliar a vida franciscana com algo que estava tão vivo dentro dele?

Durante muito tempo ele preferiu se dedicar aos estudos e aos livros, aprendendo cada vez mais e sendo um estudante modelo, aos olhos dos professores e dos freis. Porém, a maior parte do que ele aprende nesses anos foi com os colegas de vocação e com os colegas de escola, com cada escolha que fazia ou cada atitude que deixava de tomar.

O texto é muito bem escrito. Como o livro Ninguém me Explicou na Escola foi baseado em diários, a narrativa é a maior parte da história, com poucos diálogos. Apesar de isso tornar a leitura mais densa e mais lenta, não tira a beleza do texto, que tem um vocabulário rico e uma estrutura muito bem formada. Cada capítulo de Ninguém me Explicou na Escola começa com um trecho de música da época, dando o tom do que vai ser tratado nas próximas páginas e ambientando o leitor numa época em que tanta coisa importante aconteceu no país e no mundo.

Amei Ninguém me Explicou na Escola. O dilema do garoto entre as tantas vidas que poderia ter e as escolhas que poderia fazer são o centro da história que nos mostra que o mais importante não se aprende na escola.

Recomendo a leitura de Ninguém me Explicou na Escola para quem gosta de um livro que prende a atenção, faz refletir e ensina um pouco mais sobre o que é verdadeiramente relevante.

Mora em Ribeirão Preto, gosta de ler desde sempre. Apaixonada por café, por um bom vinho e por histórias que aquecem o coração.

2 thoughts on “[Resenha] Ninguém me Explicou na Escola – Fernando Favaretto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge